A Polícia Militar do Estado de Goiás faz uma cerimônia de homenagem aos 91 anos do cabo veterano Deocleciano Máximo Neto, nesta quarta-feira, 4 de maio. A cerimônia honrosa  será realizada no  Comando da Academia de Polícia Militar em Goiânia.   Deocleciano é um dos mais antigos membros da corporação com vida.  São 62 anos integrando a corporação. Desde 1982 ele está na reserva como cabo reformado.



Para a cerimônia, que acontece às 7h30, são esperadas mais de 100 pessoas entre autoridades, amigos e familiares. O prefeito de Goiânia,  Rogério Cruz; o prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano, e o secretário Estadual de Segurança Pública, Coronel Renato Brum  são nomes confirmados para a homenagem que terá revista às tropas e apresentação da banda da Polícia Militar.

Saiba mais sobre Deocleciano Máximo Neto
Aos 91 anos, Deocleciano Máximo Neto é um homem que deve ser visto como exemplo pela sociedade brasileira. Esposo, pai e avô ele tem a honestidade, a retidão e o amor a Deus como valores principais e fundamentais na sua vida. Guerreiro e determinado é um dos policiais militares de Goiás com mais tempo de casa. Já são 62 anos integrando a corporação. Desde 1982 ele está na reserva.

 Deocleciano ingressou na  Polícia Militar do Estado de Goiás em 1960 como soldado e se aposentou em 1982 como cabo. Atuou por 5 anos no Comando Geral e por 18 anos no Palácio do Governo. Quando questionado sobre a importância da Polícia Militar para sua vida, seu Deocleciano é enfático ao dizer que foi a Polícia que te deu sabedoria e reforçou seus bons valores.

O passado
Ele recorda que não é Goiano, mas filho da cidade de Floriano no Piauí, e onde saiu a pé em busca de melhores condições de vida. Andando ele foi até Pedro Afonso, no Tocantins. Foram 1059 km percorridos em busca de uma vida mais digna. Esforço que deu muito certo.

Logo que chegou na cidade, Deocleciano foi  trabalhar em uma charqueada, que era uma espécie de matadouro que depois do gado abatido  trata o couro para fabricação de sapatos, bolsas e cintos. Após um ano na cidade, ele já havia aberto um comércio. Anos depois levou o comércio para Porto Nacional, que na época era um importante centro comercial para a região. De Porto Nacional, Deocleciano se mudou para Goiânia. Dessa vez a viagem foi de avião. Na capital de Goiás,  ingressou na Polícia Militar e construiu uma nova história.

Após ir para a reserva da Polícia Militar de Goiás, Deocleciano Máximo voltou para o Tocantins onde se tornou delegado da Polícia Civil .  Como delegado da Polícia Civil voltou a defender a sociedade e os valores que priorizavam a família.

Hoje, aos 91 anos,  a história de Deocleciano Máximo é de grande orgulho para seus 11 filhos e 45 netos, 11 bisnetos e para a Polícia Militar de Goiás, que hoje o homenageia.
Compartilhar:

Lorena Lázaro

Comente:

0 comentários

Boazinhas